NUESTROS LECTORES OPINAN
SOBRE LAS OLIMPÍADAS DE BEIJING 2008

Opiniones recibidas por nuestro último editorial

 

Concordo plenamente com as palavras do Editor.

Não há como separar os jogos olimpicos da situação sócio-política. aliás, os festejos da Grécia evidenciavam não uma atividade física, mas a complexidade da vida do cidadão em sua dinãmica existencial. Era a festa da cidadania.A glorificação dos deuses e dos homens que superavam limites. Mas tudo dentro de um contexto real. Os países que participarão das Olimpiadas da Chuna devem - por dever - se manifestar contra a vilania praticada contra o Tibete.

Muito infeliz, a declaração da Presidente do Comitê Olimpico, assim como de outras autoridades de outros países. Recordemo-nos da maldição nazista que passou em silêncio naqueles jogos da Patria Alemã...............

Nildo Jose Lubke
Jurista, docente (Curitiba, Brasil)
[email protected]

[email protected][email protected]--------------------------------------

Caros amigos de fé e luta por um mundo dos humanos para os humanos.

Concordo todos os termos da vossa denuncia do retorno da era do nefasto nazismo onde foram ceifadas vidas humanas e todas as atrocidades que todos conhecem. Sempre estive envolvida com os movimentos de defesa da dignidade humana e defesa da humanidade, como a minha e nossa unica causa neste planeta terra. Cada mensagem sofro pois sinto que os homensa e sua vaidade estão aniquilando outros irmão. Como dise um autor que não me lembro o nome "a maior revolução que deverá ocorrer para mudarmos eesas atrocidades  sera a interna, dos valores eticos ou bioéticos".

Abraços,

Eduarda Maria Duarte Rodrigues
(Advogada, enfermeira, docente)
[email protected]

[email protected][email protected]--------------------------------------

Doctor Rabinovich:

                            Absolutamente de acuerdo con usted y especialmente con la comparación de 1936. La "historia oficial" no recuerda que los gobiernos de Francia e Inglaterra no reaccionaron adecuadamente ante la invasión de Polonias por Hitler. En cambio sí fue clara la condena efectuada por el Papa Pío XI en Mit brenneder sorge el 14 de marzo del 37. Hoy en China hay obispos católicos presos por el solo hecho de testimoniar su fidelidad a Roma.  Felicitaciones, una vez más.
 
Alejandro Javier Lorenzo 
Profesor Superior en Cs. Jurídicas, Abogado
[email protected]

[email protected][email protected]--------------------------------------

Prof. Ricardo e demais membros da equipe da Revista Persona,

Sobre o artigo das Olimpíadas, coloco abaixo meus breves comentários e minha humilde opinião que certamente será merecedora de reparos:

A tradição de se conduzir a tocha olímpica das ruínas do templo de Hera em Olímpia na Grécia até o local onde vão ser realizados os jogos olímpicos começou ironicamente com as olímpiadas de Berlim - Jogos Olímpicos de Verão do ano de 1936 (por mais de três mil atletas através da Europa), cuja abertura oficial, foi feita pelo ditador nazista Adolf Hitler!

Não sabia o insano Hitler que este tipo de condução da tocha daria espaço para a democracia, sendo mais um instrumento para manifestações de indignação e repúdio a países que adotam mecanismos de desumanidade, como ocorre hoje com os protestos de repúdio as Olimpíadas de Pequim ao longo da passagem da tocha pelo mundo.

A República "Impopular" da China não é uma democracia e seu crescimento econômico mundial não modifica a realidade de barbáries praticadas pelo governo chinês ao longo de muitos anos...a população na sua grande maioria (e que maioria!) não tem acesso aos benefícios desse crescimento. Crimes contra a humanidade são praticados diariamente naquele país.

Durante o processo de escolha dos países que sediariam as Olimpíadas a China venceu Paris, Istambul, Osaka e Toronto! Será que não havia entre esses candidatos opções melhores do que a China? Não é necessário responder! Pelo menos nações que respeitam muito mais os Direitos Humanos tínhamos!

A resposta para uma escolha tão estúpida se manifesta através desses protestos durante a passagem da tocha olímpica. a desculpa de país mais populoso do mundo não é suficiente para o apelo que os jogos olímpicos trazem e toda a simbologia que o acompanha.O histórico de desrespeito aos direitos humanos na China inabilita o país de receber tal honraria.

O Comitê Olímpico Internacional (COI)em 1936, mesmo com a proibição dos judeus participarem das Olipíadas pelo governo nazista manteve a sede em Berlim com o argumento de que o esporte olímpico não deveria sofrer interferência política!!! Será que a escolha do COI não é política?? Sorte que as pressões mundiais na época (tal qual ocorre hoje com a China) impediram que a proibição aos atletas judeus permenecesse e eles participaram dos jogos.

Três anos mais tarde, em 1939, as tropas nazistas invadiam a Polônia. Começava a II Guerra Mundial. O comportamento do país sede das Olimpíadas de 1936 demonstrava que tipo de poder dominava a Alemanha naquela época!

Pequim escolheu o lema de "Nova Pequim, Grandes Olimpíadas" no intuito de demonstrar que o país caminha para novos ideais. Um simples lema de Olimpíadas não modifica o fato da China ser um país indiferente aos Direitos Humanos, e o presente de ser sede das Olimpíadas deveria ser dado a China após cumprir seu dever como país que respeita os direitos humanos, assim como um atleta só ganha a medalha após demonstrar na prática ser merecedor dela.

Um grande abraço,

Yuzianni Rebeca de M. S. M. Coury
Jurista, Doutoranda em Direito (Campina Grande, Paraiba, Brasil)
[email protected]

[email protected][email protected]--------------------------------------

Estimado amigo:

      Coincido plenamente con tu posición, ayer fueron las Olimpíadas del 36 demostración del poderío de la gestapo y verguenza para el pueblo alemán, hoy son las Olimpíadas de la China autoritaria y racista, nuestro país no tendría que concurrir por solidaridad con la humanidad. No hagamos como el avestruz.

    Un saludo cordial.

Sandro Fabicio Olaza Pallero
Jurista, historiador, docente (Buenos Aires, Argentina)
[email protected]

[email protected][email protected]--------------------------------------

Sr.Editor - Prof.Ricardo
 
Nos unimos e endossamos o pensamento desta publicação.
Não é possivel separarmos a expressão olimpica da expressão politica, em especial, porque temos a convicção de que realmente os direitos humanos estão acima de qualquer comemoração , mesmo que seja ela, esportiva.
Servir-se do esporte para esconder atrocidades e genodicios não nos parece justo, ainda mais, quando envolve crianças e quando estas crianças em sua grande maioria são as mulheres.
Lembramos que na China há aproximadamente 45 milhões de homens  mais do que de mulheres. Qual seria a razão desta diferença tão expressiva?  
 
Parabens a Persona pela corragem de assumir tal posicionamento

Prof.Euclide Bernardo Medici
Jurista (Brasil)
[email protected]

[email protected][email protected]--------------------------------------

[email protected][email protected]--------------------------------------

[email protected][email protected]--------------------------------------

PROFESSOR,
 
CONCORDO PLENAMENTE COM A MENSAGEM.
 
SOU MAIS UMA GOTA D'ÁGUA APOIANDO QUE O INCÊNDIO DA VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NA CHINA SEJA DEFINITIVAMENTE DEBELADO.
 
FORTE ABRAÇO.

Marcos Antônio Alves Penido Penido
Jurista (Brasil)
[email protected]

[email protected][email protected]--------------------------------------

COMPARTO ESTA POSTURA Y CREO QUE SE DEBE ACOMPAÑAR DESDE LA DISTANCIA A NUESTROS HERMANOS TIBETANOS. SI SE SIGUEN DANDO LUGAR A QUE ACTÚEN LOS LOCOS DE TURNO EN ESTA HISTORIA DEL MUNDO SE HAN DE REPETIR LOS VÁNDALOS QUE PRETENDEN BORRAR DE UN PLUMAZO LA DIGNIDAD DEL HOMBRE EN TODAS LAS EDADES. LO HICIERON LOS NERONES, LOS HITLER, LOS MUSSOLINI, LOS BUSH, LOS VIDELA. DESDE ESTAS LÍNEAS BREGUEMOS POR LA LIBERTAD Y LA FELICIDAD DE LOS PUEBLOS.

Arnaldo Brizuela
[email protected]

[email protected][email protected]--------------------------------------

           Parabéns à Revista PERSONA que está sempre à frente dos movimentos sérios da atualidade ! Também penso que a China não merece sediar as Olimpíadas 2008, porque o Governo de lá é tirano, prepotente e ganancioso. Ou, o significado maior das Olimpíadas, que é o da UNIÃO ENTRE OS POVOS, alicerçada no AMOR e na PAZ  ficaria conspurcado, manchado pelo sangue dos inocentes do TIBET e da própria China, onde não há respeito ao Homem e aos seus sagrados Direitos. Se o preço tiver de ser este, que não haja Olimpíadas em 2008 !
NÃO na CHINA ! Pela liberdade e autonomia do TIBET !

Yolanda Jardim da Rocha C. Monteiro
Jurista, Docente (Rio de Janeiro, Brasil)

 

Y recibimos las siguientes adhesiones:
(por orden alfabético)

Gustavo Bonzón (médico, docente, Buenos Aires, Argentina)
Andrés Botero Bernal (historiador, jurista, Medellín, Colombia)
Oscar Botta (jurista, educador, Buenos Aires, Argentina)
Alicia Fernández Leleu (jurista, escritora, Buenos Aires, Argentina)

Manuel L. Martí (médico, docente, académico, Buenos Aires, Argentina)

Araceli Otamendi (escritora, periodista, Buenos Aires, Argentina)
Federico Piedras Quintana (jurista, Buenos Aires, Argentina)
Nélida Porro (historiadora, docente, Buenos Aires, Argentina)
Sergio Puente (jurista, Buenos Aires, Argentina)
Daniel Rabinovich (empresario, Buenos Aires, Argentina)
Martín Alfredo Ignacio Schwab (jurista, ministro religioso, Buenos Aires, Argentina)
Juan Fernando Segovia (historiador, Mendoza, Argentina)
Manuel Trueba (jurista, educador, Buenos Aires, Argentina)