POLÍTICOS x GANÂNCIA E DINHEIRO MALDITO

 

Olavo A. Arruda D´Câmara*

 

Há pensamentos sobre o dinheiro que analisados sobre as condições atuais parecem verdadeiros. “Dinheiro na mão é vendaval”; “dinheiro que vem fácil vai fácil”;  “dinheiro originário de crime trás desgraça e quando ganho ilegalmente só trás infelicidade”, porque é dinheiro “sujo”; “por trás de toda grande fortuna há um crime”.  Exageros ou não, sempre há verdade. Ressalve-se, que no Brasil e no mundo existem grandes empresários que ganham cada vez mais e geram milhares e milhares de empregos e este é o lado positivo. Embora o dinheiro, não tenha cor e é independente, pois, foi produzido por um Banco Central ou alguma casa de moeda no exterior, as condições para poupá-lo ou ganhá-lo é que se questiona.

 

O dinheiro é sujo ou amaldiçoado? Não há dinheiro maldito, mas as condições de como se obteve grandes fortunas podem ser “sujas”. Há pessoas que não se contentam com o que já possuem e querem mais e mais, deixando a ganância tomar conta do seu ser. Certos empresários e políticos, por exemplo, que passaram uma vida inteira acumulando fortunas, através de atos ilegais, imorais e de forma corrupta, em um único deslize, acabam perdendo tudo e ainda responderão a processos, pois deixaram rastros. É o caso de determinado Prefeito do Estado de São Paulo que foi acusado de atos imorais e corruptos, acabou processado e preso, perdeu todos os seus bens além do cargo de prefeito, teve vários infartos e acabou falecendo, deixando a família desmoralizada e em dificuldades financeiras.

 

Então vem a pergunta: Vale a pena deixar a ganância tomar conta e querer acumular mais e mais? É sempre bom lembrar que numa fração de segundo, poderemos morrer e tudo ficará por aí para os herdeiros ou para o Estado. A fortuna obtida por meios ilegais, espúrios ou através de corrupção,  sempre trás “desgraças e infelicidade”. O ser humano deve conquistar os seus bens patrimoniais e familiares para ter uma vida feliz, sadia e colaborar com a sociedade onde vive.

 

Quando alguém acumula fortunas é porque o criador o preparou para bem administrar grandes negócios. Não se deve esquecer:  “tudo que existe é para o nosso uso, porém, nada nos pertence e não somos donos de nada”. Para comprovar esta afirmação vá a um velório. Lá está o defunto gélido, deitado em um caixão somente com a roupa do corpo. Todos os seus bens móveis, imóveis, dinheiro, jóias, veículos, ações, fábricas, fortunas em “paraísos fiscais”, permanecem onde estão e os seus herdeiros começam a rir de felicidade pela herança e os seus corações palpitam em meio às lágrimas pela despedida do defunto. “Ele era tão bom; que saudade!; como viverei sem ele”?  É! A falsidade reina entre alguns. “Enquanto Atenas chora, Esparta ri”. Há políticos honestos e bem intencionados, mas é a minoria, e o mesmo acontece com o povo. A ganância em acumular fortuna seja por que meio for não trará felicidade e, chegará um dia que o dinheiro ganho por meios criminosos desaparecerá das mãos daquele que, corrompeu, roubou e furtou.  Quanto dinheiro mal empregado e desviado dos cofres públicos e que está fazendo falta para o leite, remédios, hospitais, melhores aposentadorias, bons salários para os Professores, Médicos, Policiais e Enfermeiros. Um dia a casa cai! É incrível, embora não se tenha estatística para afirmar, o certo é que: “todas as pessoas que passam por grandes tristezas, violentas emoções ou pavor, acabam contraindo câncer ou alguma doença violenta”. O que se dirá daquelas que fazem tudo por “debaixo do pano” e são vaidosos, devido “sede de poder e loucura por controle”. É ótimo ter uma vida confortável e seria extraordinário ter uma vida de “nababo”. Mas, e o próximo! Como devo amá-lo como a mim mesmo, se sou profundamente egoísta, avaro e não me importo com os outros e quero cada vez mais acumular.

 

 “Os fins justificam os meios”? Não! Lembre-se que fortunas também desaparecem do dia para a noite. Quando os seus “amigos” e “familiares oportunistas” descobrem que a fortuna que você acumulou é originária da corrupção ou de alguma forma criminosa, começarão a promover chantagens e a sua fortuna começará a despencar e às vezes não dá para pagar nem o Advogado que o defenderá. Por isso, a fortuna corrupta desaparece com muita rapidez. Fica registrado para a reflexão: Dinheiro trás verdadeiramente felicidade para os corruptos?  Há pessoas que são anjos e outras que demônios, em qual grupo você se enquadra?

 

 

* Advogado, Professor de Política, Ex-Secretário Municipal de Educação.